Quem nunca enfrentou este bicho de sete cabeças chamado fofoca? Quem nunca foi alvo do escrutínio justificado, ou não, da vida alheia? Por mais que passemos por este constrangimento quase diariamente, muito poucas vezes passamos a refletir sobre o real significado deste fenômeno em nossas vidas.

Fofoca é o nome dado ao fenômeno comunicacional que ocorre quando uma pessoa fala algo de outra sem a sua ciência, cujo conteúdo possa ser verdadeiro ou não. Geralmente este conteúdo pode ser distorcido com o objetivo de difamar ou infringir algum dano moral à pessoa.

Agora, com qual objetivo este fenômeno pode ocorrer? Vamos analisar quais podem ser as possíveis implicações por trás deste ato: Em primeiro lugar, olhemos para o "fofoqueiro": Quais seriam as motivações deste tipo de pessoa?

Ao fornecer uma informação sobre "alguém", o fofoqueiro se coloca no lugar de uma pessoa poderosa, "fonte de informação", consciente ou inconscientemente clamando por atenção ao se parecer com uma pessoa fonte de credibilidade. Isso nos faz pensar se, às vezes, o portador da fofoca não possa ser uma pessoa carente da atenção despertada pela curiosidade daqueles que se interessam pela vida alheia.

Em segundo lugar, o fofoqueiro pode ser simplesmente uma pessoa que também carece do mal da "inveja"... Esta que é a vontade de ser ou estar no lugar de alguém. Todavia, parece que a inveja, na maioria das vezes, é um mal inconsciente fruto da incapacidade de autoanálise e de lidar com os desejos recalcados de seu portador.

Uma terceira possibilidade aparece no horizonte da análise do fofoqueiro: Este pode ser uma pessoa que sente a necessidade de experimentar e de demonstrar poder. Sim, muitas vezes esta vontade de poder não muito bem resolvida em uma pessoa, pode ser levada a expressar-se da maneira mais fácil ou cômoda na vida da pessoa, que na maioria das vezes é por via verbal.

Agora, o que podemos dizer sobre a pessoa que sofre a Fofoca? Assim como o fofoqueiro, cada pessoa experimenta o fenômeno de uma maneira diferente. Outra coisa interessante é que a capacidade que a fofoca tem de atingir uma pessoa parece ser diretamente proporcional ao tanto que esta se importa com ela.

Outro ponto interessante é que uma fofoca pode ser facilmente combatida pelo tamanho da transparência que esta pessoa possui diante das outras, pois um dos maiores fatores motivadores deste fenômeno é a existência de segredos: Ora, além de saber a quem confiá-los, combater a fofoca diz também sobre o nível de tratamento que nossa autoestima possui diante da estima alheia.

Neste sentido, o que podemos dizer é que, a fofoca é um mal para o ser humano na medida em que este o importa, e na medida em que afeta a sua incapacidade de resolver a si próprio em relação à estima alheia.

Observação: Este texto é um texto de reflexão, não científico, e lida com a problemática da vida real: Não trata de dados ou de nenhuma teoria psicológica cientificamente reconhecida para lidar com o tema, mas parte de perguntas e reflexões levantadas para pensar as possibilidades que existem por trás deste ato. Este texto não é receita explicativa para nenhum caso real ou particular, pois como diz a vida cotidiana: Cada caso é um caso.

Fonte: Colunista Murillo Rodrigues