É muito comum no dia de hoje que os Recrutadores busquem por profissionais usando as Redes Sociais como ferramentas para recrutamento. Estas que são meios baratos, rápidos e eficientes de divulgação podem ser muito mais do que se imagina: Costumo dizer que o Facebook tem se convertido em uma das melhores ferramentas de Avaliação Psicológica da atualidade – isso porque a vida da pessoa basicamente toda se encontra na Rede (maneira de se comportar, educação, expressão moral e intelectual e etc).

Os diversos grupos de emprego que tem se disseminado no Facebook, por exemplo, são excelentes espaços de busca por oportunidades, e nele se encontram pessoas de diferentes tipos de habilidades, graus de instrução, educação e experiências. Esta diversidade e aglomerado de pessoas faz com que seja um espaço ideal para que os recrutadores procurem por pessoas que se enquadrem nas necessidades de suas vagas.

Anúncios de Emprego

Pelas razões anteriormente expostas, os profissionais de Gestão de Pessoas e RH, costumam anunciar nos grupos suas vagas de modo a atrair a atenção das pessoas que buscam trabalho. Mas existem, particularmente duas ocasiões, que podem TIRAR IMEDIATAMENTE A POSSIBILIDADE de contratação de uma pessoa, digo mais, até mesmo a possibilidade de ser chamado. Estas estão relacionadas aos comentários nas vagas, e ocorrem por:

1)Um português mal escrito: Erros de ortografia, concordância, regência, gírias e informalidade são muito mal vistos pelos Recrutadores. Uma má escrita diz, diretamente, sobre a preparação e a formação de um candidato – O mercado de trabalho busca profissionais preparados;

2)Problemas com Comportamentos Governados por Regras (Baum, 2008; Catânia, 1999; Skinner, 1982), particularmente esta é a minha preferida. Explico:

O Recrutador posta um anúncio:

CONTRATA-SE EMPACOTADOR para a empresa X
Salário: R$ 750,00 + Vale Transporte + Alimentação
Horário: Seg. a Sex. 8:00 as 18:00 hrs
Interessados enviar e-mail com o título da vagapara recrutamento@vaga.com.br


Repare bem que na parte "enviar e-mail com o título da vaga para...", as informações são bastante claras e específicas. O problema é que a pessoa não envia o e-mail e posta nos comentários: "Tenho interesse, me ligue no 9999-9999". Esta atitude que parece simples, é horripilante aos olhos de um recrutador mais exigente: Primeiramente a pessoa demonstrou uma total incapacidade de seguir regras simples (Enviar um e-mail com currículo com o título da vaga), segundo ela tentou submeter o recrutador às regras dela ao enviar o número pedindo que ligasse para ela sem ao menos enviar o currículo.

Ao realizar o processo de Seleção para uma vaga, os recrutadores analisam os currículos por grupos: É comum separá-los para depois fazer a conferência dos mesmos em um único período de tempo. Ex.: A vaga para empacotador foi postada na segunda-feira, os recrutadores podem esperar entre 3 dias e 1 semana (cada um tem seus critérios) para analisar TODOS OS CURRÍCULOS recebidos para aquela vaga. Ou seja, ele não irá sair coletando telefones para entrar em contato individualmente com os interessados. O contato telefônico é o segundo momento, o primeiro é o da Análise Curricular.

Então, para não ser eliminado antes mesmo de ter o currículo avaliado, é bom que você preste atenção às instruções fornecidas no anúncio, seguindo-as à risca, e cuidar para ter uma escrita impecável. Esse exemplo também serve para os profissionais de Recursos Humanos prestarem atenção à esta atitude que pode ser um dos indicadores para um profissional com problemas com Comportamento Governado por Regras.

Referências

Baum, W. M. (2008). Compreender o Behaviorismo. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed.

Catania, A. C. (1999). Aprendizagem: Comportamento, Linguagem e Cognição. Porto Alegre: Artes Médicas.

Skinner, B. F. (1982). Sobre o behaviorismo. São Paulo: Cultrix.

Fonte: Colunista Murillo Rodrigues