A Psicologia Evolucionista, alicerçada sobre as contribuições teóricas de Darwin, Mendel, Hamilton, Trivers, entre outros (que nos próximos textos terei o maior prazer de discutir com você, caro leitor); possibilita a construção de um modelo apurado e robusto de investigação sobre as origens, bem como a história de vida do homem, uma vez que o pensamento biológico permitiu a psicologia se assentar sobre uma nova base - como bem predisse Darwin no final da sua célebre obra Origens das Espécies (1859) - à luz da evolução; e que, sob a minha óptica, se denota atualmente como a maneira mais elegante de tornar, ente outras coisas, o cerne da filosofia do grande pensador grego Sócrates – "conhece-te a ti mesmo" – em realidade científica.

Qual é o objetivo da Psicologia Evolucionista?

A Psicologia Evolucionista procura compreender e entender porque a mente foi moldada do modo como é; como a mente humana foi modelada; quais são seus mecanismos e as partes; Qual é a sua organização; quais as funções dessas partes; e finalmente, como os estímulos ambientais (input) interagem com a mente (hardware) para produzir o comportamento observável (outputs). Nesse sentido, a perspectiva evolucionista amplia o estudo do comportamento humano para além da análise física, de suas causas proximais – mecanismos fisiológicos evoluídos; passa a considerar e investigar os mecanismos psicológicos evoluídos. Para tanto, se debruça sobre o seu surgimento na história da vida, adotando o método comparativo com outras espécies, entre indivíduos e os sexos da mesma espécie; além de procurar compreender sua função ou o valor para a sobrevivência e reprodução do indivíduo.

Fonte: Psicologia Evolucionista