Por mais que você espere, este artigo não é um manual mágico de como saber se está na hora de colocar um ponto final no seu relacionamento. Infelizmente, não há uma receita pronta que sinaliza o início de problemas nos relacionamentos. O que apresentarei aqui para você é uma maneira simples de identificar os sinais que podem estar levando seu relacionamento para o fim. E como mudar esse cenário.

Costumo dizer que a forma como esses problemas se apresentam na sua vida é bastante camuflada. Aparentemente nada tem a ver com o relacionamento em si. Quer um exemplo? Uma mulher que está chateada com o marido pode preferir ficar mais um pouquinho no trabalho, para não ter de voltar logo para casa. Da mesma forma, ela pode ficar impaciente com as crianças porque o marido preferiu sair com o amigo do que com ela, naquele dia em especial. O marido, por outro lado, pode preferir sair com o amigo, porque quando sai com a mulher só ouve lamentações sobre a rotina e reclamações sobre seu jeito de ser.

Esse casal pode não fazer ideia de que seu comportamento é reflexo do que está acontecendo na vida afetiva de ambos. Mas é exatamente sobre esse assunto que este artigo se trata: os 4 sinais camuflados de que seu relacionamento está indo mal. Afinal, embora não haja uma receita pronta, será ótimo tentar detectar os problemas de relacionamento pela forma como vocês se comportam, antes de eles se tornarem tão prejudiciais ou, pior, antes de levarem ao fim.

1. Você mantém as críticas no ar

Você pode não se dar conta, mas a crítica sempre se torna um hábito destrutivo. Seu intuito é sempre menosprezar o outro. E eu sempre me pergunto: como pessoas que dizem que se amam, menosprezam seu próprio objeto de amor? Não soa contraditório? Vejo em meu consultório pessoas que trazem essa demanda e que acabam por perceber que seu hábito de criticar o outro nada mais é do que uma forma de se sentir superior e no controle. À medida que trabalhamos essa questão no processo de Coaching, esses clientes aprendem a aceitar seu parceiro, a compreender seu comportamento, a resolver seus conflitos de forma equilibrada. Eles aprendem, por exemplo, a trocar a frase: "Você nunca presta atenção no que eu falo!", por "Eu me sinto triste quando você não presta atenção no que falo." Mas, mais importante do que trocar as palavras, é trocar o tom de voz. Que tal já começar a treinar nesta semana?

2. Você despreza o outro

Xingar, expor ao ridículo, desrespeitar, depreciar, ser sarcástico, ironizar, desdenhar. Tudo isso é desprezo pelo outro. E esse é o maior calo em um relacionamento. Não há como seguir em um relacionamento onde se alimenta o desprezo. Casais saudáveis valorizam um ao outro. Uma vez ouvi de uma mulher muito sábia que o casal tem de ter orgulho um do outro. Não importa em que aspecto, mas pelo menos deve haver algo a se orgulhar. Concordo. O casal deve ter a habilidade de validar o que o outro faz e buscar falar a mesma língua.

3. Você está sempre na defensiva

Você está sempre precisando defender seu ponto de vista? Sente-se pisando em ovos e medindo as palavras em seu próprio relacionamento? Pergunto a você: onde está a compreensão, a liberdade, a comunicação? Não seriam essas as bases de um relacionamento? Ficar dando desculpas pelo que você fala ou faz, mudar de assunto para não entrar em conflito, justificar o mau comportamento do parceiro, não seria tudo isso prejudicial a um relacionamento equilibrado? Como bem mostra esta ferramenta da Pirâmide do Relacionamento, o casal precisa definir bem seus limites, comunicar um ao outro empaticamente, respeitar-se. Assim, fatalmente encontrarão a parceria tão desejada num relacionamento.

4. Você cria um muro de proteção

No início do meu casamento eu tinha muita raiva quando queria discutir algo com meu marido e ele simplesmente se retirava do ambiente. Isso me matava! Hoje, mais de uma década depois, já conseguimos estabelecer uma relação saudável. Agora eu sei como abordar o assunto e ele responde de forma tranquila. Mas percebo que aquele tipo de comportamento (fugindo do assunto) não só evitava o conflito, como mantinha a situação como estava, ou seja, sem solução. Ir embora, sair para fumar, recusar-se a falar ou ficar apenas resmungando ou fazendo piadinha, todos esses são obstáculos ao autoconhecimento e ao autocontrole. Ouvir o problema, esfriar a cabeça, fazer uma autorreflexão e apresentar seus argumentos pacificamente indicam que você tem maturidade suficiente para levar adiante um relacionamento equilibrado. Um relacionamento sem obstrução significa coragem em relacionar-se ao invés de varrer para debaixo do tapete e ignorar os problemas do casal.

Se você percebe em si ou no outro algum desses sinais silenciosos, não se desespere. Todo casal é capaz de mudar seu comportamento com a devida orientação e a prática diária. O Coaching Afetivo pode ser uma maneira útil de compreender o fluxo de um relacionamento saudável e praticar ferramentas de comunicação eficazes.

Fonte: Portal Educação