O Bullying, é uma prática conhecida de todos nós há muito tempo. Se não fomos vítimas de Bullying na escola, certamente presenciamos algum destes atos. Tanto nos é familiar, de alguma forma, que todos sabemos da sua existência. O fato de existir essa ‘familiaridade’ em relação ao comportamento de Bullying, faz com que, muitas vezes, este assunto não seja tratado com a devida atenção. Na verdade, até os últimos tempos tem sido tratado, na grande maioria dos casos, com omissão.

O Bullying se refere a todo tipo de comportamento agressivo, verbal ou físico, intencional e repetido, que acontece, geralmente, na escola, sem motivação evidente, adotados por um ou mais estudantes, contra outros, causando muito sofrimento, dor, ansiedade e angústia tanto nas vítimas, quanto nos espectadores. Dentre as ações que caracterizam o Bullying, estão os apelidos, a discriminação, a exclusão, a perseguição, o isolamento, o assédio, a tirania, a dominação, a agressão física, o ataque aos pertences, entre outros. Ações que humilham, atacam e ofendem a criança vitimizada

Quem já foi vítima de Bullying, ou teve um amigo ou parente próximo vivendo esta realidade, sabe bem o estrago que esta prática pode causar na vida de uma pessoa, dependendo de como ela recebe essas ações. Não é porque muitas vezes as pessoas tratam o Bullying como algo que acontece na escola, que é normal entre as crianças, que esse assunto possa ser desprezado, muito pelo contrário. É chegada a hora de nos colocarmos em posição contrária a essa prática a tanto tempo difundida, e que infelizmente já não tenha sido barrada ä muito dentro das escolas. Teria com certeza, evitado muito sofrimento.

O Bullying é um problema mundial, não está restrito a nenhum tipo de instituição, seja ela pública ou privada, rural ou urbana. Normalmente as escolas que não admitem a existência do Bullying entre seus alunos, ou desconhecem o problema ou se negam a enfrentá-lo. É importante que as escolas, pais e alunos, possam enfim encarar este problema de frente, as conseqüências do Bullying, quando não há intervenções efetivas, podem ser desastrosas. O ambiente escolar torna-se totalmente contaminado. Todas as crianças são afetadas de forma negativa, passando a experimentar sentimentos de ansiedade e medo. Além do que, alguns alunos, que testemunham o Bullying, quando percebem que o comportamento agressivo não traz nenhuma conseqüência, podem adotá-lo também.

Dentre as conseqüências da prática do Bullying está o fato de que crianças que são alvos, dependendo de suas características individuais e de suas relações com o meio, poderão não superar os traumas sofridos na escola. Poderão crescer com sentimentos negativos, de baixa auto-estima, tornando-se adultos com sérios problemas de relacionamento, ou ainda assumir e multiplicar o comportamento agressivo. Para aqueles que são os autores da prática, também existem conseqüências, estes podem levar para a vida adulta o mesmo comportamento anti-social, adotando atitudes agressivas no ambiente familiar ou do trabalho e trazendo muitos prejuízos para sua vida futura. E as testemunhas, por sua vez, são afetadas de forma que sentem-se inseguras e temerosas de que sejam as próximas vítimas.

Portanto, é necessário que os envolvidos se mobilizem em busca de programas que possam ser implementados nas escolas com o intuito de diagnosticar, identificar e reduzir o comportamento agressivo entre os estudantes. Podendo assim melhorar o ambiente da escola e a qualidade de vida de todos.
Quem não ganharia com isto?

Fonte: Blog Psicologia Infantil