1. O que é Psicologia da Religião?

É o campo da Psicologia dedicado ao estudo do comportamento religioso, comportamento que envolve aspectos cognitivos e afetivos do ser humano. A Psicologia da Religião, assim, apesar do nome, não estuda propriamente a religião, mas a relação do ser humano com a religião seja ela qual for, tanto de adesão como de afastamento, de modo a serem estudados tanto o comportamento dos religiosos como o comportamento dos não-religiosos. Em resumo, os psicólogos da religião não se pronunciam quanto à realidade do objeto religioso, ou seja, não afirmam nem negam a existência de uma transcendência nem de figuras religiosas como deuses, demônios, espíritos, mas querem conhecer o que leva as pessoas a afirmarem ou negarem essa transcendência, a crer ou não crer nessas figuras e a venerá-las ou combatê-las.

2. Como os(as) psicólogos(as) estudam o comportamento religioso?

Há muitos métodos que são empregados para se estudar o comportamento religioso dependendo do objetivo da pesquisa e do objeto estudado. Por exemplo, os psicólogos da religião podem querer estudar a crença religiosa de uma pessoa em particular ou de algumas pessoas de um mesmo grupo religioso e, para fazerem esse reconhecimento, podem utilizar-se de entrevistas individuais. Se o objetivo é o de conhecer como um grupo se organiza, como são seus rituais, podem fazer uma pesquisa de observação-participante, na qual poderão presenciar o grupo em suas atividades. Muitas vezes o objetivo da pesquisa pode ser a avaliação de algum comportamento em uma dada população e, para tanto, poderão lançar mão de um estudo populacional, uma pesquisa por amostragem. O método experimental pode ser empregado, por exemplo, se o interesse é o de estudar as possíveis variáveis psicológicas, psicossociais e interpessoais, dentre outras, que interferem em um dado comportamento religioso. Psicólogos da religião com formação clínica podem fazer seus estudos recorrendo ao método clínico, de acordo com sua perspectiva teórica, para a análise do comportamento religioso. Como se pode notar, os psicólogos da religião fazem uso dos métodos empregados pela Psicologia como um todo, mas com a finalidade de conhecer melhor seu objeto de estudo.

3. Quais são as principais teorias psicológicas empregadas para compreender o comportamento religioso?


As principais teorias psicológicas apresentam suas contribuições para a compreensão do comportamento religioso, cada uma delas enfatizando aspectos relevantes desse comportamento. Assim, por exemplo, a Psicanálise e as demais teorias de perspectiva psicodinâmica enfatizarão os aspectos inconscientes desse comportamento. A Psicologia Comportamental dará relevo aos aspectos observáveis do comportamento, incluindo, atualmente, os cognitivos. A Psicologia Fenomenológica buscará a significação que a religião tem para uma dada pessoa. Como o comportamento religioso é complexo, é fundamental que as várias perspectivas teóricas da Psicologia possam somar -se, no sentido da abranger os, quanto possível, os processos psicológicos envolvidos nesse comportamento.

4. Qual é história e o estado de arte da Psicologia da Religião?

A história da Psicologia da Religião se confunde , em certo sentido, com a própria história da Psicologia. Pioneiros da Psicologia e da Psiquiatria, como William James, Sigmund Freud, Carl Gustav Jung, Pierre Janet, Gordon Allport, Stanley Hall, interessaram-se pelo comportamento religioso e realizaram estudos desse comportamento . Pouco a pouco, a Psicologia da Religião foi - se desenvolvendo como um ramo especializado da Psicologia, ainda que cada grupo tenha preferências pelo objeto a ser estudado, pelo método a ser empregado e pela teoria utilizada para entender seu objeto. Atualmente, há numerosos psicólo gos da religião trabalhando organizadamente em centros de pesquisa universitários e em associações. Nos Estados Unidos, a Associação Americana de Psicologia mant é m um a Divisão de Psicologia da Religião, a Division 36 - Psychology of Religion. Boa parte dos psicólogos da religião da Europa, além de alguns de países de outros continentes, organizam-se em torno da IARP - International Association for the Psychology of Religion. No Brasil, há o Grupo de Trabalho "Psicologia & Religião" da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia, no qual concentram-se pesquisadores de várias universidades como a USP (São Paulo e Ribeirão Preto), a PUC (São Paulo e Campinas), a Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), a UFMG, a UNIP e a UCB.

Fonte: INSTITUTO DE PSICOLOGIA