Matéria enviada pelo internauta Patrick Pazatto

O adolescente e a liberdade - Arminda Aberastury, o adolescente ao partir para fase adulta é que meio complicado porque ele tem que enfrentar de início várias coisas um pouco mais de responsabilidade pelos seus atos, enfrentar o luto do corpo de criança, e deixar de agir como crianças, mais isso vai se perdendo com o tempo onde ele apenas vai ter traços infantis e regressões em determinados momentos. Nessas mudanças se perde a identidade de criança e começa uma nova identidade desse jovem tanto
consciente quanto inconsciente, o adolescente ele quer agir como adulto, mas não se responsabilizar-se pelos seus atos porque antes quando eram crianças podiam aprontar travessuras que não dava em nada.

Também os pais vivem o luto pelos filhos, precisam fazer o luto do corpo do filhos que era pequeno e pela identidade de criança e de sua relação de dependência infantil. Agora são advertidos por seus filhos, a rebeldia o enfrentamento esses processos são muito doloroso ao adulto que não tem consciente os seus problemas frente ao adolescente. O adulto se agarra ao seu mundo de valores, com seu mundo interno de fracasso e de um refúgio de conquistas típicas de nossa sociedade alienada, já o adolescente defende seus valores e despreza o que o adulto quer lhe impor; ainda mais, sente-os como uma armadilha da qual tem que escapar.

O adolescente sente que tem que planejar sua vida controlar as mudanças, adaptar-se ao mundo externo. Essa mudança é dada pela transição de fase na teoria freudiana ela é da como uma segunda chance para os ambos os sexos porque eles podem reviver o complexo de Édipo e trazer de volta essa bissexualidade do jovem, mas por não poder se relacionar com seus genitores ela procura em ambos o sexo qual ela vai se identificar melhor, e por essa busca de identificação pode acarretar vários conflitos entre seus pais onde querem orientá-los em um caminho como eles faziam quando esse jovem era pequeno; mas esses pais por já terem passado por essa fase quando jovens saberiam como melhor orientar seus filhos talvez isso não seja ao meu entender por causa do tempo que se
passou e seja diferente, mas a fase é a mesma com as mesmas características como esses pais não conseguem agir de forma correta e acabam gerando conflitos, gostaria de trazer outras situações do meu entender mas essa é a que mais me chama a atenção.

Autor: Patrick Pazatto